terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Plano B e exigir


Quero convosco partilhar um pouco do que me aflige, numa incomodidade que me dá cabo dos nervos e da saúde.
Não posso com o afrontamento verbal de se inquirir alguém se tem ou não um plano B para isto, para aquilo, ou para mais alguma coisa. Fico possesso.
Este sofisma verbal, actualmente, não passa de um sistema de boicote e de achincalhamento contra quem não gostamos que faça o que pretende fazer, pondo em causa a nossa teoria ou prática, que julgamos ser o único caminho viável, logo, sem alternativa.
Nem tudo é negativo quando praticado por quem não é da nossa opinião, nem devemos pensar que o que fazemos não merece qualquer reparo.
Também não gosto nada de alguém exigir seja o que for. Para mim é uma verdadeira confrontação que, levada à mesma letra, só faz extremar as posições, sem qualquer consenso.
Por exemplo: ‘exigimos que ….’. E eu pergunto: o que é que esse alguém fez ou sofreu para fazer tal exigência?
Demandemos em democracia e ética para não afrontarmos o adversário com um plano B e não exijamos o que muitas vezes não contribuímos para tal exigência.


José Amaral

1 comentário:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.