sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

TEXAS – NOVO MÉTODO PEDAGÓGICO - ARMAS DE FOGO NAS SALAS DE AULA



O Noticias ao Minuto de hoje dá ênfase a uma notícia na qual o presidente da Universidade do Texas anuncia que a partir do próximo ano lectivo, os estudantes daquela universidade (UT) vão poder levar armas para as salas de aula, a par com os cadernos ou computadores.

O presidente autoriza porque a isso está obrigado por lei, apesar de ter publicamente anunciado estar contra a medida por ser contra o bom senso e o papel de educação, cidadania e civismo que deve prevalecer nas universidades. Contudo, uma vez que a medida foi aprovada em ambas a câmaras do parlamento do Texas, dominadas pelos republicanos e que contempla ainda o uso de porte arma na via pública, o presidente da universidade não tem como não cumprir a medida.

No principio deste mês escrevi um artigo intitulado “ O fenómeno Trump” no qual abordava algumas das minhas preocupações acerca da candidatura deste excêntrico e fundamentalista milionário à presidência dos Estados Unidos. Fi-lo por vários motivos e porque me reservo no direito de poder reflectir, de forma fundamentada sobre os perigos que correm as democracias ocidentais actuais com personagens destas a “cavalgarem” o poder e com tanta adesão popular.

À semelhança do parlamento texano, Donald Trump é também adepto do uso e porte de arma nos Estados Unidos, por isso imagino que deve estar a regozijar-se com a implementação desta medida. Pessoalmente acho que devia estar preocupado…muito preocupado, mas sei que o que eu acho não interessa nada.

Felizmente, mesmo no Texas a implementação medida está longe de ser pacífica e muitas instituições privadas, que têm essa liberdade de actuação, recusam-se a fazê-lo. Mesmo na Universidade do Texas existe oposição aberta e pessoas dispostas a incumprir a lei. De entre esses destaca-se o reitor da universidade William McRaven que assumiu estar contra, apesr de ter que cumprir a lei e o prémio Nobel da Física, professor na instituição Steven Weinberg que já assumiu que nas suas aulas vai proibir a entrada de alunos armados, bem como milhares de alunos daquela universidade.

Ironicamente ou talvez não, porque a história tem destas “coincidências”, a nova medida entrará em vigor no 50.º aniversário do dia mais triste da história da Universidade: um massacre protagonizado por um estudante que resultou em 30 mortos e em três dezenas de feridos, a 01 de agosto de 1966, no 'campus' de Austin, mas nem as memórias destes trágicos episódios fazem as pessoas que têm o poder de decidir, ter bom senso e juízo na cabeça.

Os Estados Unidos são de facto um país estranho: antes dos 18 não podes beber uma cerveja em lugares públicos, mas podes encomendar pela NET uma espingarda-metralhadora e podes levar uma arma para a escola.
Estamos entregues aos bichos…

Graça Costa

*não escrito ao abrigo do acordo ortográfico



4 comentários:

  1. Num mundo, onde em muitos lugares, se perderam a noção dos valores, e num estado de insegurança permanente, todas as medidas que tragam alterações ao dia-adia, acabam por ser aceites, mesmo que sobre elas não haja um aprofundamento da sua necessidade e urgência. Desde que se mude alguma coisa, o pessoal inseguro ou aceita ou não repudia. Os Estados Unidos, com aquele estátua monumental da LIBERDADE, está a naufragar, talvez porque ela está inserida numa ilhota. Neste momento, não se espera dos responsáveis pela governação dos países medidas racionais, dado que muitos destes actores são pessoas pouco preparadas para tais exercícios que mereciam gente com uma capacidade extra. Só que esses princípios podem desarmar a democracia, que é o sistema que elege pela quantidade, que não quer dizer que em muitos casos não será qualidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde colega blogger.
      Subscrevo na integra as suas palavras e mais uma vez, agradeço o seu contributo no meu , hoje, "pequeno" artigo .
      Um magnifico fim de semana.

      Eliminar
  2. Mais uma vez a nossa companheira de escritas, Graça Costa, traz-nos aqui mais uma notícia tão oportuna quanto inquietante. Esperemos que o bom senso prevaleça naquele país que é só, globalmente, o mais influente. Que vozes esclarecidas e sensatas como a dela e do amigo Tapadinhas tenham lá eco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada colega blogger, mas infelizmente este blog começa a estar infestado de pessoas que não só desconhecem a palavra respeito pela opinião dos outros, como sob também capa de anonimato ( porque a cobardia é assim mesmo )nada acrescentam a não ser ódio e falta de educação.
      Uma excelente semana para si

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.