terça-feira, 5 de abril de 2016

A PODRIDÃO DO "PANAMÁ PAPERS"

O escândalo financeiro "Panama Papers" põe a nu a podridão que vai no reino dos senhores do dinheiro e da política (e não só...) a nível mundial. Utilizar "offshores" para fugir aos impostos, à lei, para ocultar pagamentos de corrupção, para lavar dinheiro, para branquear capitais enquanto as populações, em grande parte, vivem com dificuldades ou na pobreza é revelador, sobretudo no caso dos responsáveis políticos, de uma absoluta falta de carácter, própria daqueles que vendem pai e mãe na praça pública. Figuras como Vladimir Putin, o presidente da China, o presidente da Argentina, o presidente da Ucrânia, o primeiro-ministro da Islândia, Marine Le Pen, a irmã do rei de Espanha e, pelo menos, 29 multimilionários da revista "Forbes" estão implicados no esquema. E a procissão ainda vai no adro. Que gente podre. Que gente que passa por cima, que só olha para o seu poder e para as suas riquezas. Que gente reles. Entre eles há portugueses. O escritório de advogados Mossak e Fonseca, que está no centro do escândalo terá criado 244 empresas offshore para, pelo menos, 34 clientes com uma morada fiscal portuguesa. Atingimos, de facto, o caos. O homem está gravemente doente. O capitalismo está a rebentar pelas costuras. É a hora!

1 comentário:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.