segunda-feira, 11 de abril de 2016

Agradar a «gregos e a troianos»

Na crise económica que tem afectado a maioria da população neste últimos anos, com cortes nas pensões, salários, aumentos de impostos e redução do horário de trabalho na função pública, com a saída da Troika parecia que estaríamos a levantar a cabeça, no entanto este novo Governo de coligação, parece trazer algo mais, não só para satisfazer as exigências dos parceiros da governação, como também para agradar à população, vai repor as 35 horas semanais para a função pública. Mas esta onda de charme, poderá ter custos graves para o nosso futuro, como se depreende das declarações do ministro da saúde na tv de que a reposição das 35 horas semanais para a função pública, terá um acréscimo para as despesas do tesouro, de vinte e sete milhões de euros, só com despesas para enfermagem e assistentes operacionais. Então quanto custará ao povo estas simpatias, se extrapolarmos para as autarquias e restante administração pública?

Duarte Dias da Silva, Lisboa
(Público, 11-4-2016)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.