sábado, 30 de abril de 2016

Como gostamos de viver!

Como gostamos de viver!
Em Portugal, nesta fase, existe um grupo de pessoas muito pequeno mas milionário ou multimilionário, depois um grupo pequeno da classe média, cada vez mais pequeno e seguidamente um grupo grande de pessoas a viver com muitas dificuldades, abaixo do mínimo de subsistência 419€/mês que contam todos os dias os euros que podem gastar. Compete ao grupo dos políticos, do PS, BE e PCP aumentar a autoestima dos portugueses e levando-os a pensar que ainda existe a tal ”luz ao fundo do túnel”, só que o túnel é cada vez mais comprido, tendo para já 42 anos de tempo. O que fizemos de verdadeiramente importante nesse período: o SNS, o aumento da escolaridade no país (mas à medida que aumenta a escolaridade do país, o nível de conhecimentos piora), até parece um paradoxo, mas é a triste verdade, o reconhecimento dos portugueses ligados ao mundo científico no exterior e pouco mais. Nos últimos anos que apareceu um político capaz de conseguir puxar pela autoestima dos portugueses parece-me ser o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, ele está em todo lado, ao lado de tudo, e de todos, até parece que tem o condão da ubiquidade. Que este homem consiga chegar ao fim do túnel arrastando todos os portugueses com ele, ou pelo menos que dê uma grande contribuição para isso.

4 comentários:

  1. O Prof. Marcelo já arrasta muita gente. Se chegar ao fim do túnel arrastando todo os portugueses, para quê, Sr. Carlos?

    ResponderEliminar
  2. Lamentavelmente, tal como já vinha fazendo nas conversas semanais, todo o palavreado do Prof. Marcelo, (ele está sempre a lembrar-nos que é professor), serve apenas para nos anestesiar. No final nada de concreto para enfrentar os graves problemas da nação. O que é mais deprimente é que o pessoal gosta de ser adormecido, e não se apercebe que o país está a afundar-se, e que o Prof. Marcelo e os seus amigos têm todos bóias de salvação.

    ResponderEliminar
  3. Eu não quis ir tão longe... Bem observado amigo Tapadinhas!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.