quinta-feira, 7 de abril de 2016

TRUCULÊNCIA OU TIQUE TOTALITÁRIO MINISTERIAL?



O ministro João Soares (JS) protagonizou uma daquelas cenas "canalhas" de que não há memória na III República. Eu sei que o próprio, e o seu pai Mário Soares, estão sempre com saudades da sua querida I República, que veem como o único paradigma das liberdades, da ética e dos valores morais, quando historiadores insuspeitos a viram como a anarquia absoluta. Adversários políticos eram assassinados na via pública, e a instabilidade política uma constante, para além do completo descontrolo financeiro. A esquerda que suporta este governo, vai desculpar agora tudo, como é mister em qualquer actuação controversa de seja quem fôr da sua área política. A esquerda é sempre ungida, tudo pode fazer. Se JS fosse um ministro de Passos Coelho, com esta atitude de ameaçar com bofetadas dois respeitados jornalistas de um jornal privado, estava automaticamente na rua. Assim, só sairá se lhe apetecer, ninguém o obrigará a isso. Agora o que quero relevar nesta atitude, e noutras do mesmo ministro, na gestão do CCB por exemplo, é que a sua postura não é um sinal de mera truculência machista ou simples má educação. O que releva aqui, é que JS na oposição, é muito assertivo em criticar tudo e todos que não sejam do PS ou da esquerda, mas quando sobe ao poder tem tiques verdadeiramente salazarentos. E só não se atreve a mandar prender os seus adversários políticos, porque não o deixam (ainda). Eu cá, entre totalitários, perdoo mais os que nunca renegaram que o são, do que os fariseus, que enchendo a boca de "democracia", são tão ou mais totalitários, do que os que antes criticavam. 

4 comentários:

  1. Se o João Soares fosse um homem de carácter, depois da vergonhosa afronta que fez aos jornalistas, apresentava a sua demissão de ministro, cargo para o qual não tem as mínimas condições. Agora aqui está um dilema, porque se ele fosse um homem de carácter não se tinha comportado de tal maneira. Desgraçadamente JS continua a percorrer o mesmo caminho, o que prova que não é pessoa suficientemente inteligente, pois dizendo que os articulistas se assustaram, continua a ofendê-los e está a chamar-lhes covardes. O homem julga-se o Tarzan Taborda, mas este não faria um papel tão mesquinho e vergonhoso. O comentário do Manuel vem muito a propósito. Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo seu comentário que aprovo absolutamente. Se JS gosta de resolver assuntos à bofetada, nunca deveria ter sido ministro. E como homem, nunca deveria anunciá-las, mas executá-las, simplesmente, se as achasse adequadas.

      Eliminar
  2. Se em boa toalha também cai a nódoa, no caso vertente, foi a nódoa do ministro que borrou a toalha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A única explicação que encontro para este insólito comportamento, que não teve por parte dos fariseus da esquerda o mínimo reparo (salvo uma curta declaração do deputado do BE), é que JS, deve pensar que é um príncipe ungido, por ser filho do "monarca" Soares... Como este foi sempre um inimputável em Portugal, o filho pensou que também o seria. Mas como nunca teve a classe do pai, tramou-se...

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.