terça-feira, 10 de maio de 2016

A 10 DE MAIO DE 1984, MORRE JOAQUIM AGOSTINHO


Resultado de imagem para joaquim agostinho ciclista
A 10 de Maio de 1984, morre, no Hospital da CUF em Lisboa, depois de dez dias em coma em consequência de uma queda sofrida numa etapa da X Volta ao Algarve a 30 de Abril de 1984, quando liderava a X Volta ao Algarve, na 5ª etapa a 300 metros da meta, um cão atravessou-se no seu caminho, o que o fez cair, provocando-lhe uma fractura craniana o ciclista português Joaquim Agostinho, considerado um dos melhores ciclistas dos anos 70 do século passado. Brilhou na Volta a Portugal; no Tour de France e na Vuelta a Espanha.
Joaquim Agostinho começou a praticar ciclismo no Sporting Clube de Portugal, equipa que o descobriu ao treinar perto de Casalinhos de Afaiata em Torres Vedras, começando a praticar a modalidade já com 25 anos de idade. Ainda assim, conseguiu evoluir de tal forma que é usualmente referido como o melhor ciclista português de todos os tempos.
A sua carreira internacional começou em 1968, depois de ter sido observado pelo director desportivo francês Jean de Gribaldy. Obteve resultados de destaque na Volta a Espanha, vários dias de amarelo e um segundo lugar final, distantes apenas 11 segundos da vitória, e na volta à França onde terminou duas vezes no pódio e venceu a mítica etapa do Alpe d’Huez.
O seu modo de pedalar era peculiar: por ter aprendido tardiamente (por volta dos 23 anos), e logo em seguida começar treinos mais pesados, sofria constantes quedas. Era bastante desengonçado, o que lhe rendeu o apelido de “Quim Cambalhotas”.
Melhores vitórias: Vencedor das Voltas a Portugal em 1970; 1971 e 1972. No ano de 1974 2º. Lugar na Volta a Espanha e dois 3ºs. Lugares no Tour de France em 1978 e 1979.
Nasceu a 7 de Abril de 1943 na Silveira-Torres Vedras.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.