segunda-feira, 2 de maio de 2016

As «maias» no 1º de Maio

Na minha vila, ainda se colocam as maias à porta (ou nos carros!). Mas este ano foram mais as casas sem elas que com elas! É bonito de ver. Também eu as fui apanhar… Ainda conheci um ribeiro aqui perto e ouvi a água correr nele…
As ‘maias’ são giestas de flor amarela que florescem em princípios de Maio e como que anunciam a chegada deste mês, define o Dicionário da Língua Portuguesa.
Não as sabia tão macias. («Macias» sem c lê-se maias, reparo agora na coincidência).
Colocam-se nas entradas das casas na noite de 30 de Abril para 1 de Maio para dar sorte, para proteger de «entidades malignas» ou «esconjurar o mal e a omnipresente insegurança da vida»!
Numa época de crise como a que vivemos, este ritual pagão que os nossos avós sabem de cor (de coração), faz todo o sentido!
Há que esconjurar todas as «entidades malignas» que nos têm cercado ultimamente, cujos nomes tão bem conhecemos, infelizmente. Uma delas: o desemprego, algo que também os antigos queriam ver bem longe das suas vidas. Trabalho e pão é o que nos basta.
Ontem, ouvindo a Rádio Renascença pela manhã, alguém dizia que «violência é não ter trabalho»!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.