sexta-feira, 20 de maio de 2016

Convite

Pergunta poeta
Pergunta o que quiseres
Pergunta com teus sonhos
De mundo – que – não –é.

Tu o crês e julgas e pensas.
Por isso, ele é só teu
E só para ti existe.
Triste quase sempre
Irradiante, às vezes
Mas sempre o mundo – que – não – é.

És filho do concreto e só pares o irreal!
Tens montes de palavras, de gestos e anseios!
Às vezes, coisas belas
Às vezes, coisas más
Mas sempre coisas do mundo – que -  não - é!


                                                      Joaquim Carreira Tapadinhas - Montijo

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.