quinta-feira, 26 de maio de 2016

Que tudo fosse nós

Um desejo. O verbo amar.
O verbo anterior a conceber.
Um olhar, como princípio doutro olhar
Numa tortura que faz elanguescer!

Uma luta por te querer e não te crer.
A fome insaciada de te olhar.
O medo… o receio de perceber
Que a tua foz irá a outro mar!

Uma visão, um sonho, uma loucura!
O que quiseres, do modo que tu queiras!
Uma louca corrida, numa viril procura
De fecundar o mundo com algo mais que ideias!

Que de mim e de ti se dissesse de nós
Que o teu Além, não fosse apenas teu!
Que no teu Ser vibrasse a minha voz!
Que tudo fosse Nós… e nada tu e eu!...

Joaquim Carreira Tapadinhas - Montijo



Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.