quarta-feira, 18 de maio de 2016

TEMOS SANÇÕES OU NÃO TEMOS SANÇÕES?



E agora salta uma pergunta que se anseia não ter de se perguntar, e que se espera seja só um ligeiro sobressalto que passou pela cabeça e se desvanece felizmente em nada.

E se a sacrossanta União Europeia nos sancionar?

Castigar ainda mais os meninos cegamente obedientes e bem comportados, por terem sido cegamente obedientes e bem-comportados, mas que foi pouco pois que só ficaram com as calcinhas nas suas mãozinhas trementes, e o que eles querem mesmo é vê-los nuzinhos integralmente, com os corpinhos todos trementes – roxos mesmo -, não só as mãozinhas?

O que vai fazer António Costa? O que vão fazer Pedro Passos Coelho e Paulo Portas?

Aceitam? Recriminam-se mutuamente, para gerar poeira nos olhos e nas cabeças? São finalmente corajosos, não aceitam, solidarizam-se?
E o que vai fazer esta gentinha, ou gentalha, raramente simplesmente gente, que só quer fum fum e gaitada, e futebol?

Se formos crentes, que se reze veementemente para que a pergunta não venha a ser feita; se não o formos, que se acredite piamente na possibilidade de uma conversão futura caso ela não seja feita.

É que se o prognóstico der errado e o desfecho for o da pergunta ter de se fazer, aceitem ou neguem, recriminem-se ou sejam corajosos, o desfecho vai ser muito mau, e é bem possível, que a gente desta terra não tuja nem muja, para além das manifestações retóricas e de cátedra que acompanham a “bica” da manhã.


Logo a seguir, tudo se estabiliza na normalidade bovina.

1 comentário:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.