quarta-feira, 1 de junho de 2016

Mas nunca disse o teu nome…

Disse palavras ao vento
Para que a brisa ao passar
Te lembrasse o juramento
E assim pudesses voltar

Disse ao mar, quanto te quero
Para quando à praia fores
Sintas quanto sou sincero
E é fiel o meu Amor

Disse, de noite, ao luar
Do Amor que por ti sinto
Para a Lua te contar
E saberes que te não minto

Disse ao Sol, ao despertar,
Que te fale do meu Amor
Que vivo para te amar
E és o meu sonho maior

Disse ao Mundo, disse à gente
Deste Amor que me consome
Falei dum Amor diferente
Mas nunca disse o teu nome…


Joaquim Carreira Tapadinhas - Montijo

1 comentário:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.