terça-feira, 28 de junho de 2016

Quem quer sabotar o SNS?

Sabemos que ‘errar é humano’, mas ‘quando é de mais é moléstia’.
Assim, acabamos de saber que uma jovem de 19 anos, chamada Sara, foi 11 vezes, durante 3 anos, ao serviço de Urgência do Hospital Padre Américo, em Penafiel, e que os clínicos apontaram sempre para uma simples crise psicológica, enquanto a infeliz paciente, que faleceu em 2013, tinha um tumor no cérebro com 1,6 quilogramas de peso.
Apesar da desventurada Sara vomitar, ter frequentes perdas de consciência, algumas na presença médica, não controlar a urina, os inqualificáveis doutos pensaram que estivesse grávida, em vez de ser submetida a uma TAC ou ressonância magnética, exames praticados em casos análogos.
A este continuado e malfadado diagnóstico não podemos dizer que estamos perante uma incúria grosseira, mas tão-somente diante de uma autêntica sabotagem contra o SNS.


José Amaral

2 comentários:

  1. A vida humana tem perdido o valor, porque, entre outros factores, as regras económicas e financeiras imperam. Não se pergunta, nos altos areópagos que dominam tudo e todos, quantos não têm boa assistência na saúde, na alimentação, na habitação ou na cultura necessária. O que interessa são os cálculos económicos e financeiros, o cumprimento dos orçamentos, o pagamento dos juros e a manutenção dos chorudos cargos públicos. Dentro destas vias, o cidadão anónimo, pouco ou nada interessa. O desprezo pelos cidadãos, que são o lastro da sociedade, vai-se avolumando e casos como este, e parecidos, vão sendo o dia-a-dia. Quem está em cima, olha sempre para cima e não se apercebe que é suportado pelos os que estão em baixo. É esta civilização no seu máximo esplendor.

    ResponderEliminar
  2. Feliz e acertado comentário o seu, Amigo Joaquim C. Tapadinhas. Um sincero abraço.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.