quarta-feira, 6 de julho de 2016

Apesar de pequenos, seremos grandes na final em Paris

Desde o indigesto bacalhau islandês, passando pela trôpega valsa vienense, com os magiares os talheres foram manejados a meias.
De seguida os croatas deram-nos muito trabalho e, por isso, suamos a bem suar.
Os polacos viram dois pontapés na atmosfera, mas, finalmente, nos penalties fomos exímios.
Hoje, com o País de Gales, ficamos com tudo para entrarmos no Paraíso. E, no dia 10, lá estaremos – 11 mais 11 milhões – entre a Torre Eiffel e o Arco do Triunfo, para a disputa final do ceptro Europeu de Futebol, contra os gauleses de Asterix, ou defrontando os panzers da senhora Merkel.

nota - texto publicado no JN de 8/7

José Amaral

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.