terça-feira, 12 de julho de 2016

Poema da separação

Não entristeças quando o Sol se vai
Porque ele voltará em seu esplendor
E abraçará a Terra com amor
Como o faria o mais bondoso pai!

Não penses só em ti, como um tesouro!
Deixa o mundo, contigo, viver também!
Amar no plural é regra de ouro
Ninguém vive, vivendo sem ninguém!

Somos só dois e não duas metades!
Somos diferentes, em muito desiguais!
Eu sou o sonho e tu a realidade
Por mil caminhos vou, e tu não vais!

1959 – Joaquim Carreira Tapadinhas - Montijo




1 comentário:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.