segunda-feira, 25 de julho de 2016

Não escolhi o lugar onde nasci…


Não escolhi o lugar onde nasci
Mesmo que o tempo avance e me cilindre
Não ouvirás de mim qualquer melindre.
Eu sou assim, assim me construí!...




24-07-2016. Joaquim Carreira Tapadinhas - Montijo

2 comentários:

  1. Somos dois: ninguém ouvirá o meu queixume. Um dia serei somente estrume no lugar onde nasci.

    ResponderEliminar
  2. Só que o estrume servirá para alimentar plantas, árvores e arbustos, que também são vida e ajudarão outras vidas a terem alguns períodos de existência. Um abraço ao Amigo José, que estendeu o meu poema, e fê-lo com a sabedoria, que só os que aprofundam a vida o podem fazer.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.