sexta-feira, 29 de julho de 2016

Notícias soltas, mas muito más

Acabamos de saber que se iniciaram os trabalhos da Comissão de Inquérito, acerca da delapidação e más gestões cometidas na outrora seguríssima CGD.
Também soubemos que a administração cessante, liderada por José de Matos, aceitou por unanimidade continuar em funções até ao fim do mês de Agosto. Pudera! Os seus membros vão continuar na mesma mama, delapidando-se, assim, mais umas centenas de milhares de euros, para juntar aos muitos milhares de milhões que desapareceram.
Seria mais proveitoso que a CGD ficasse sem administração, gerida pelos mais aptos funcionários dos 2 500 que querem pôr no olho da rua. Isso sim, é que era diminuir aos enormes prejuízos que no seu seio têm ocorrido. Basta para exemplo o país – Espanha –, que está quase há um ano sem governo e, mesmo assim, sofreu na mesma a Multa Zero como nós, que temos todas as instituições a funcionar a pleno vapor.
Por último, ouvimos na rádio um alto (ir) responsável institucional afirmar que a CGD é ‘um porto seguro’ para a banca portuguesa.
Isso diz ele, um dos muitos ensandecidos palacianos que abundam na capital do império perdido. Na verdade, em vez de ‘um porto seguro’ não passa de um autêntico Triangulo das Bermudas, onde tudo desaparece, como todo o dinheiro tem desaparecido sem deixar rasto, nem ninguém ser responsabilizado por tal eclipse total monetário.


José Amaral

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.