quarta-feira, 6 de julho de 2016

O caminho


Porquê e para quê este arrastar
De dias, sobre dias, sempre iguais
Horas sombrias, noites sem luar
Aonde o desalento fez seu cais?!

Porquê e para quê continuar
Este rosário que não termina mais
Onde se vive e se ama sem amar
Onde as palavras são apenas ais!

Porquê e para quê? Que responder?
As palavras são fáceis de dizer,
Árdua tarefa é marchar em frente!

Viver não é estar vivo, mas viver!
Ter o caminho, sabê-lo percorrer
Lutar para que todos sejam gente!...


Joaquim Carreira Tapadinhas - Montijo

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.