terça-feira, 16 de agosto de 2016

A LAVAGEM AO CÉREBRO

Do nascimento até à morte, somos moldados tendo em vista a adesão ao sistema. Desde a família e a escola, aprendemos a respeitar a hierarquia e os valores burgueses. De acordo com Alain Krivine, o trabalho destrói o ser humano para o transformar em robot, entregando-o à fórmula metro-trabalho-casa. Embrutecido pelo trabalho, manietado pela publicidade, controlado pela televisão, o indivíduo é chamado a decidir o seu destino, depositando o seu boletim de voto nas urnas de quatro em quatro anos. Eis o grande embuste. Eis aquilo que as grandes corporações e os políticos ao seu serviço fazem de nós. Reduzem-nos a bonecos. No entanto, a culpa também é dos oprimidos que em dado momento da adolescência, da juventude ou mesmo da idade adulta não se apercebem ou não se querem aperceber de que estão a ser enganados e continuam a jogar o jogo. Pode ser um livro, um poema ou uma canção. Algo que nos faz despertar. Ainda assim, muitos despertam e não se deixam levar. Porque isto é mesmo uma lavagem ao cérebro. Contudo, nós temos a nossa inteligência e a nossa cultura. Não nos deixemos enganar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.