sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Alma de bombeiro

Há um país que arde por estes dias, populações que vivem momentos de terror e não são os politicos, nem os banqueiros que resolvem ou confortam, mas sim os bombeiros em quem é depositada toda a esperança na salvação de pessoas e bens.

Todos os dias no ano eles são importantes, pelos dramas que resolvem pelo socorro que prestam, mas é durante a época de fogos que mais se vê a bravura destes homens.

E por estes dias são excessivamente nomeados. Pena que na bonança sejam tantas vezes esquecidos...

Apesar de tudo nunca esmorecem e estão sempre prontos a servir a comunidade.

Fortes na adversidade, brandos nas situações mais delicadas, assim são eles!

O verdadeiro bombeiro é nobreza de carácter, espirito de sacrificio, anonimato...

Verdadeiro herói tantas vezes. Temerário, aje e reaje, vai onde mais ninguém se aventura, onde ninguém mais tem coragem de ir.

Preparados para atuar em incêndios, no resgate de pessoas em acidentes de trânsito, desmoronamentos, desastres naturais.Treinados ainda para o manuseamento de matérias perigosas, para actuação na emergência médica e pré-hospitalar, etc...

Poucas classes são assim tão completas, polivalentes.

Mas para ser tudo isso é preciso uma alma grande, solidaria, altruista...

E apesar da complexidade da sua missão e formação, o bombeiro nem sempre tem o reconhecimento merecido, nem da parte dos governantes e até por vezes das próprias populações que esperam sempre deles o ir ao limite a todos os níveis, esquecendo que são homens e mulheres que para actuarem também precisam vencer os seus medos.

10 comentários:

  1. Os bombeiros, tal como os pedreiros, os canalizadores, os valadores, os motoristas e ajudantes de ambulância, etc., são recrutados entre as pessoas mais simples da nação. Estas pessoas são o suporte da sociedade, tal como os alicerces dos prédios que são construídos com os materiais menos polidos. Daí,como ninguém se lembra ou admira os suportes dos edifícios, também as pessoas que servem a sociedade, não são devidamente reconhecidas, neste caso concreto, os bombeiros. A comunicação social só se alimenta de papagaios e não reconhece os valores do ser humano.
    Logo, só no dia do fogo se lembram os bombeiros, tal como nos dias de temporal se lembram que os esgotos e as valas não estão funcionais. É da condição humana agir desta maneira. Os que estão activamente a pensar e a agir a favor do benefício social não são em número suficiente para alterar o quadro. Contudo, a luta tem de continuar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "também as pessoas que servem a sociedade" - comentário curioso do amigo Tapadinhas que me lembra que os politicos deveriam encabeçar essa lista. Pois, mas eu faço sempre confusão: eles não servem, servem-se...

      Eliminar
    2. Servir a sociedade não é militar nos partidos políticos ou exercer cargos de governação normalmente bem remunerados. Os que servem a sociedade não são os que falam em trabalho, mas os que trabalham para construir os seus suportes. Logo, na minha lista, possivelmente errada, não entram, nos lugares, cimeiros os políticos que se governam, mas não governam as instituições e o povo, ainda que haja muita gente honesta, especialmente nos lugares de base. É um erro generalizar porque sempre acabamos por ser injustos. Talvez não me tenha expressado bem e esse é erro meu. O que interessa é que continuemos a lutar por uma sociedade mais justa.

      Eliminar
    3. exprimiu-se bem e entendi-o bem. Apenas ironizei. Em países ditos evoluídos, os politicos estão ao serviço do seu país. Em países atrasados ou dizendo doutra maneira corruptos, onde acho que se encaixa Portugal , os politicos servem-se e descaradamente...

      Eliminar
  2. O texto da amiga Fátima vem a propósito e o comentário do amigo Tapadinhas completa-o. "É da condição humana... Não são em número suficiente..." Nem pouco mais ou menos! Por isso, os que nos apercebemos e nos incomodamos, não nos calamos. " a luta tem de continuar".

    ResponderEliminar
  3. Mais uma vez a opinião abalizada do amigo Tapadinhas: " É um erro generalizar..." E não só em relação a este ou àquele partido... E nos países "ditos evoluídos", nem todos os políticos estão ao serviço do seu país.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando digo países "ditos evoluídos" refiro-me àqueles muitos passos à nossa frente mas ainda longe do desejável. A evolução concreta é uma utopia, mais ainda quando se confunde modernidade com maturidade social.

      Eliminar

      Eliminar
  4. De facto, nem todos os políticos estão ao serviço do seu país. Muitos deles não passam de traidores e até recebem comendas.
    O povo 'quer-se inculto' para que 'tudo continue como dantes, com o quartel em Abrantes'.
    Gente ensandecida até usa armas contra as aeronaves que querem recolher água. Enfim, o desatino generalizou-se. Exemplo, se todos nós ficarmos doidos ao mesmo tempo, ao vermos uma pessoa de tino, vamos logo metê-la no manicómio. É o comportamento de massas. Mas que massas?
    Um forte abraço para todos, e 'desculpem-me qualquer coisinha'.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.