sexta-feira, 2 de setembro de 2016

A EDUCAÇÃO ALTERNATIVA

O filósofo anarquista inglês William Godwin defende que a sociedade que nós reclamamos exige "um estado de grande aperfeiçoamento espiritual" e só será possível mediante um grande desenvolvimento do intelecto. A única riqueza é a riqueza intelectual, a da cultura, a da mente. E, uma vez liberto da propriedade, "resta apenas o homem livre, o homem em si mesmo", como diz o poeta Shelley. Com efeito, não será com robots, com multidões domesticadas que ergueremos a sociedade socialista. Grande parte dos homens, aliás, está irremediavelmente perdida. Quanto aos outros, temos de ser capazes de construir uma educação alternativa, uma cultura alternativa. Uma educação que se oponha à desinformação e à lavagem ao cérebro. Uma educação, uma cultura, uma informação que actue junto das crianças, dos jovens, dos adultos, que os agite, que os provoque, que os motive, que os faça pôr em causa todos os dogmas e as regras do instituído. Sim, precisamos enriquecer-nos. Sim, precisamos evoluir. Esta é a via.

1 comentário:

  1. Por acaso era filósofo e até tinha um nome inglês. Mas o mais comum dos mortais também pensa dessa forma, porém,
    os seus pensamentos não são ditos em plateias. Todos sabemos que o mundo, cada vez mais materialista e alienado
    da realidade não vai a lado nenhum. Inova-se na tecnoloia a cada minuto do dia e não se consegue exterminar a
    fome e a guerra. A quem os homens (do poder) querem enganar?
    Afinal, os pensamentos filosóficos servem para fazer refletir a uns, mas para adocicar o chicote a outros.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.