sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Da montanha saiu um gato


De Carlos Alexandre dizem que é o homem mais poderoso deste país!

Eu não sou do tempo dos regedores, mas sempre que oiço ou leio este nome, no meu cérebro dispara um flash e é a imagem de Carlos Alexandre que eu vejo, transformado em Regedor, tipo banda desenhada!

Pois e então Carlos Alexandre, depois de tanto assédio da imprensa lá acedeu a dar a tão almejada entrevista.

E eu sinceramente esperava mais, muito mais!

Para além da simplicidade que tentou mostrar a quem o ouviu, esperava observar superioridade, serenidade, objectividade e claro, contenção no discurso, pelo menos para fazer jus à lenda que se criou à volta dele.

Superioridade não me pareceu - falou demasiado nos problemas económicos que também tem. Não era preciso!

Da serenidade, pareceu-me alguma encenação.

Sobre a objectividade, eu pergunto, onde estão os resultados concretos de crimes tão graves? Que eu saiba, os investigados fazem a sua vida normal, enquanto outros com o mesmo crime, mas com verbas menores estão presos. Terá a ver com alguma tabela ( abaixo de…)??

Por outro lado os processos arrastam-se e vão continuar a arrastar-se até  se diluírem no tempo e a populaça os esqueça. Assim ficamos todos amigos!

Por fim, falhou na contenção das palavras e tal como na história do gato e do rato: há gatinhos que estão à espera deste tipo de deslize para poder almoçar.

Não foi difícil perceber que o comentário infeliz “sobre as contas em nomes de amigos” iria dar argumento a quem enfiou a carapuça…

5 comentários:

  1. As pessoas são o que são e não aquilo que nós queríamos que fossem. Carlos Alexandre é um homem simples e honesto a quem cabe uma responsabilidade muito grande. Apoucá-lo não me parece correcto, porque a um homem que passa por uma ameaça de lhe entrarem em casa, sem nada quebrar, colocando uma pistola sobre a fotografia do filho menor, e não tem medo de continuar a sua tarefa, pois pedia pedir escusa do processo, é um cidadão honrado e valente, que nos deve merecer o maior respeito. Trabalhando como trabalha, não tempo para evocar grandes pensadores e filósofos na construção das respostas que lhe propõem, mas isso não invalida a sua capacidade de raciocínio nem desmerece o nosso respeito. Fartos de palradores estamos todos nós.

    ResponderEliminar
  2. Entendo o ponto de vista, mas é desanimador o que se passa neste país: os de colarinho branco a gozar com a justiça porque sabem ser intocáveis. Um Carlos Alexandre é uma pedra no sapato dessa gente que de tudo é capaz para lhe tirar o tapete. Podem ter resvalado na sua integridade, mas bastou uma frase infeliz para o pôr em causa.Se já noutras circunstâncias é quase impossivel condenar certos malandros, agora vai ser muito mais dificil levar a nau a bom porto.

    ResponderEliminar
  3. Carlos Alexandre pôs-se a jeito; baixou ao nível de quem o ataca. Assim, a Justiça é a única prejudicada. Vamos a ver como vai acabar esta telenovela.

    ResponderEliminar
  4. O juiz Carlos Alexandre não foi muito feliz na referência às contas em nome de amigos, mas disse muitas coisas simples e acertadas. O pessoal perfeitíssimo, que nunca erra, agarra-se a uma frase e descobre a pólvora; o homem é humano e também tem falhas e por isso vamos destruí-lo. É a vidinha da Portulândia, no seu máximo esplendor.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.