segunda-feira, 19 de setembro de 2016

MORTE À PRAXE!

Nos meus tempos de estudante sempre fui contra a praxe. Integrei movimentos, redigi manifestos. Como diz o actual ministro da Educação, a praxe é uma prática fascizante. Obriga os "caloiros" a submeterem-se a actos bárbaros e absurdos. Além do mais, estabelece uma hierarquia classista que, no fundo, legitima a sociedade capitalista: caloiros/praxistas, servos/senhores, dominados/dominadores, explorados/exploradores. As praxes já provocaram mortes em Portugal. São uma "tradição" que roça a bestialidade e não faz qualquer sentido. Morte à praxe!

2 comentários:

  1. Morte à praxe e a quem a apoiar! O Pedro Ribeiro tem mais que razão, e é um absurdo, uma estupidez, tal prática. Mas como esta civilização está em declínio e não reconhece os erros, há sempre quem a defenda e mantenha, porque, lá no fundo, muito no fundo, julgam-se seres superiores.

    ResponderEliminar
  2. E querem acabar com OS COMANDOS! E depois são os 'objectores de consciência' que dão cabo dos caloiros e baldam-se, baldavam-se à tropa!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.