sexta-feira, 9 de setembro de 2016

O CICLO INFERNAL

Depois de um dia de trabalho, a massa de trabalhadores só tem uma preocupação: ir para casa, ver TV e reconstituir a sua força de trabalho, para "recomeçar no dia seguinte o ciclo infernal", nas palavras do trotskista francês Alain Krivine. Só uma minoria mais consciente aceita, depois do trabalho, educar-se, ir a reuniões, preparar as lutas e organizá-las.
A exploração e alienação são cada vez mais subtis e menos visíveis: escola, família e media vão-nos moldando os pensamentos e os comportamentos e poucos escapam, poucos se revoltam. Querem-nos apáticos ou esquizofrénicos. Só o derrube desta sociedade odiosa nos salvará. Para quê cumprir os dias? Para quê cumprir as ordens? Para quê sermos escravos? Tudo isso é o contrário do Livre Pensamento. Tudo isso é o contrário da Vida.

1 comentário:

  1. "Que força é essa?, que só te serve para obedecer. Que força é essa que te põe de bem com outros e de mal contigo?" (Sérgio Godinho, com José Mário Branco e Fausto)

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.