domingo, 18 de setembro de 2016

PRIMAS-DONAS

Agora que até tenho algum cacau nos bolsos as gajas deveriam vir ter comigo. Para falar. Não peço mais. Claro que eu também sou exigente. Quero primas-donas, quero gajas belas e atraentes. Mas, por outro lado, quero mulheres que me compreendam. Eu preciso que me compreendam. Que entendam as minhas ideias, os meus ideais. Porque eu não tenho uma conversa banal. Nem sei como as gajas belas não se aproximam mais. É a tal história: querem segurança, querem garantir a descendência. Eu não sou desses. Eu sou do álcool, da noite, da poesia. Eu como Morrison, Baudelaire e Rimbaud. Não sirvo para pai de família.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.