sábado, 1 de outubro de 2016

As vindimas no Douro





As vindimas no Douro
(são únicas em Portugal)
As vindimas no Douro
São demanda especial,
Na busca do tesouro
Mais rico de Portugal.
Há muito suor e trabalho
De quem a vinha granjeia,
Mas no fim é com carinho
Ver o que tanto se anseia.
É ambrosia dos deuses
O que os socalcos lhe dá;
E com a bênção dos céus
Tal delícia é um maná.
Se Deus fez o Douro
E o homem dele cuidou,
Em líquido mudou o ouro
P’ra glória de quem o guardou.

As uvas no lagar
(no começo da pisa)
‘Esquerdo direito, um dois
Esquerdo direito, um dois. ‘
(para depois, no fim do corte total
das uvas,
os pisadores assim cantarem,
continuando com outras rimas):
‘Liberdade, liberdade
Quem a tem chame-a sua,
Eu não tenho a liberdade
Nem de pôr o pé na rua. ‘
José Amaral

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.