segunda-feira, 31 de outubro de 2016

COCAÍNA

É claro que somos cocaína, ó Luís Serguilha. Claro que voamos. No entanto, duvido que o cérebro ou a mente sejam o poder opressor que nos controla, que nos aprisiona. Direi mais que é o corpo, as limitações físicas, bem como os condicionalismos económicos. A nossa mente é superior. É ela que é cocaína, mescalina, que nos leva até ao infinito como em Rimbaud, Nietzsche, Henry Miller. Podemos, de facto, voar e não ficar presos a esta realidade "útil", castradora. Podemos voar e ultrapassar o dinheiro e o trabalho, parar de correr para a caixa registadora. Podemos ser sublimes. Explodir. Nada está acima de nós. Nenhum deus está acima de nós.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.