sábado, 1 de outubro de 2016

Lá como cá


Em França foi dado à estampa o livro ‘A causa do povo. A história proibida da presidência de Sarkozy’, da autoria de Patrick Buisson.
Cá, José António Saraiva, apresentou a público o seu livro ‘Eu e os políticos’.
Se o escrevedor gaulês, que foi um importante conselheiro do ex-presidente francês, incidiu toda a sua obra de cordel apenas naquele que ‘tão bem’ terá aconselhado, o escrivão de cá, homem muito ligado à Comunicação Social escrita, versou toda a sua obra ‘literária’ sobre conversas e observações havidas em particular com todos aqueles cidadãos que foram escarrapachados no livro.
Para além de desmesurado abuso de confiança, digo eu, conversas e assuntos vários de foro particular e meramente pessoal só devem ser divulgados com a anuência dos visados.
O autor português, defendendo a sua cria, terá dito que ‘o (seu) livro não é um exercício de ódio nem de vingança’, ao que eu contraponho que ‘o (seu) livro não é um exercício de ócio nem de temperança’.
JA

Nota: O Jornal PÚBLICO publicou este texto, em 4OUT2016

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.