quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Orçamento do Estado para 2017



 Há apreciações sobre o OE17, para todos os gostos ou emblemas partidários. O CDS, pela voz de Assunção Cristas, agora de contraditória crista 
alta (e baixinha, nos últimos quatro anos) diz que é um horror. O PSD:« Continua a austeridade, agora de Esquerda»(!), afirma Passos passado Coelho.
O PS, gaba-se em causa própria. Pudera! Mas... cortar mais de 10%, no Ambiente, recorda-nos o recente diabo. O PCP tem engolido algo que atrás
combatia, sendo força integrante para algum alívio relativo a milhões de concidadãos que sofreram com a demolição social! O Bloco de Esquerda,
pela voz de Catarina Martins (arrependida de estar coligada - não se diz na praça pública), tem tido a garganta embuchada, tendo o partido contribuído para que a democradura ficasse menos enviesada. Tivemos 41 anos de Bloco Central (de interesses), onde o acólito CDS foi chamado a
defender os privilégios de classe. O PCP, PEV e BE deitaram água na fervura. Nos OE2012/13/14 e 15 tiraram-nos a carne e o peixe, dando lavagante
aos mesmos daqueles costumes. O descaro destes face ao OE17 é total. O OE17, tem pouca carne e peixe. Tem ostras com pérolas... Conta cêntimos 
para o povo e dá aqueles moluscos ao «classe média» presidente da Caixa Geral de Depósitos: €423 mil de honorários, €600 mil de prémio e isenção de apresentação de declaração de rendimentos.(!) As pérolas também serão distribuídas ao conselho de administração.
     O presidente da República, manifestou o seu desagrado por esta obscenidade, mas... promulgou o decreto eliminando o tecto salarial na Caixa.
É de classe...

                                            artigo de opinião de Vítor Colaço Santos 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.