terça-feira, 18 de outubro de 2016

Orçamentos

Compreendo perfeitamente que PSD e CDS não gostem do Orçamento que se anuncia: não é o seu. Se o fosse, seria o único possível, o “autêntico”, ao qual ninguém conseguiria opor alternativa credível. Gostaram, sim, dos Orçamentos que executaram (mal, porque os déficits projectados, afinal, nunca foram cumpridos, apesar dos infindáveis “rectificativos”). Não deixando de verificar que o rendimento disponível, após IRS, vai aumentar para a maioria dos contribuintes, interessa-me mais comparar o espírito que pairou sobre a conferência de imprensa do ministro e da sua equipa com o clima que rodeava Vítor Gaspar e, mais tarde, Maria Luís Albuquerque, em performances semelhantes. As fácies e o vocabulário foram diferentes. Ouviu-se muito a palavra “social”, e até se sentiu que Centeno gostaria de “dar” mais. Gaspar e Albuquerque teriam gostado de “tirar” mais. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.