quarta-feira, 19 de outubro de 2016

QUE SOCIEDADE!

Que sociedade. Desconfia-se do elogio na praça pública. Precisamente por esse elogio não poucas não ser sincero, soar a hipocrisia. Desconfia-se até do afecto, do abraço, do acto de pureza. Porque se espera o favor, o lugar, a cunha. Desconfia-se de tudo ou de quase tudo. Desde o circo mediático até à plebe. Já pouco há o sentido da honra. A verdade é uma palavra vã. Restam alguns, algumas. Ainda assim contaminados pelos ecrãs. Ainda assim contaminados pela doença.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.