quinta-feira, 20 de outubro de 2016

SERVIÇO PÚBLICO DE SEGUNDA?


Política a quanto obrigas! O nosso querido e politicamente correcto PR Marcelo Rebelo de Sousa, não esteve bem ao defender em público que "não é possível nem desejável pagar aos administradores de um banco com fundos públicos, o mesmo valor que aos administradores de um banco privado". Pessoas ligadas à intervenção ou resolução de bancos, aqui e no estrangeiro, podem ter entendido que o PR quis defender que um banco sob intervenção do Estado tem de ser parcimonioso na remuneração dos seus gestores. E no caso em apreço da CGD, o governo até o terá sido, pois ouvi referir que foi decidido um valor pela mediana dos valores praticados nos outros bancos, e não o valor mais elevado. Mas a mensagem do PR, para a generalidade dos portugueses, vai parecer que tudo o que é privado (educação, saúde, administração) será sempre mais bem pago, perspectivando serviços de melhor qualidade. O que é público, será menos remunerado, favorecendo um serviço de inferior qualidade. Sei que não foi isto que o PR pretendeu, mas lá que a mensagem o deu a entender, deu mesmo. Às vezes, o falar todos os dias, tem destas coisas...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.