domingo, 23 de outubro de 2016

SUPER-HOMEM

Agora fiquei bloqueado. Mas eu sei que o fogo está em mim. Sou capaz de incendiar cidades. Sois tão pequenos. E eu sou o leão. Como pude ser tão frágil e humilhado. Como pude sofrer tanto. Agora reino. Venho de tempos imemoriais. Tenho os exércitos mais poderosos. No entanto, tremo, meu coração. 
É tão vil o comércio e a negociata, já o diziam Sócrates e Platão. É tão repugnante a mera sobrevivência. Coisa de bestas e de larvas de esterco. Não, eu vim para o super-homem, eu vim para me superar. Nada de relógios. Venha a mulher para nos encantar. Venha a mulher para que possamos criar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.