quarta-feira, 16 de novembro de 2016

A intolerável cuspidela «verde»

Hoje, dia 16 de novembro, assinala-se o dia Internacional para a Tolerância, instituído pela ONU.
Mas não podemos tolerar que, por exemplo, em Portugal, se abram noticiários com uma cuspidela! Foi o que decidiu a SIC, ao divulgar e repetir à exaustão as tristes imagens que as câmaras de vigilância da zona dos balneários do Estádio J. Alvalade captaram .  Essas imagens desnudam a discussão entre Bruno de Carvalho e o presidente do Arouca.
À imprensa, o presidente do Sporting disse que os dirigentes devem ser responsabilizados. Muito bem. Mas, logo a seguir, declara veemente:  "Era o que faltava eu ser castigado!".
Ora, eu que não gosto de futebol, peço que deixem de abrir noticiários com «cuspidelas» e afins, «coisas» que não interessam ao país! (ou não deviam).  E que, para que eu e tantos outros comecem a apreciar o «mundo» desta modalidade de massas, que se dê o exemplo, vindo de cima, dos dirigentes. 
Estava aqui  a pensar nos milhares de meninos que praticam futebol e veem estas imagens... Pense-se na sua formação ( integral)  e na do público. 
Eduquem-se as crianças e os adeptos. Corrijam-se os dirigentes!!
A um presidente deve admitir-se este tipo de comportamento?  E não me refiro apenas no presidente do Sporting ou de um clube de futebol...

6 comentários:

  1. As palavras sensatas da Maria do Céu e de outras pessoas educadas, que felizmente existem, caem em cesto roto, porque o pessoal já nada respeita, começando pelos dirigentes.

    ResponderEliminar
  2. Também fiquei enojado com o nojo televisionado.

    ResponderEliminar
  3. Depois lamentam que os Trump(s) sejam eleitos...

    ResponderEliminar
  4. Publicada no jornal Expresso de hoje (19.11.2016), na secção Cartas. Ainda bem, porque existe consonância entre o jornalista que selecciona as cartas e a nossa possibilidade de intervenção social.

    ResponderEliminar
  5. Obrigada, Joaquim, pela informação- não sabia desta publicação!
    abraço amigo

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.