sábado, 19 de novembro de 2016

As democracias


São nestes sistemas de governação, quando instituídos em países que não os tinham, que se mudam muitas casacas e se escondem muitos fraques. E para muitos poleiros são escolhidos muitos escroques, assaz encapotados tiranos.
E toda esta cambada, a Bem da Nação, diz que melhor democrata não há do que aqueles que ela contém.
Certamente que não podemos medir tudo pela mesma rasa, fazendo igual equiparação entre todos aqueles que são escolhidos ou eleitos para certos postos de decisão e governação.
Mas, são tantos os maus exemplos – sem qualquer punição –, com interesses próprios entre seitas que se enfrentam, que temos de estar quase sempre de pé atrás.
Assim sendo, cheira cada vez pior o que se passa – desde 31/8 – entre a administração da CGD, o Governo, a Oposição, o TC e a PR, sem se saber ao certo quem é que tem razão ou fala a verdade.
Todavia, numa democracia, não é admissível existirem excepções feitas por encomenda.
A Constituição – a Lei Fundamental de Nação – é ainda o garante dessas astutas arbitrariedades.

nota: este texto - artigo de opinião - foi publicado no mesmo dia - 23NOV2016 - pelos jornais PÚBLICO e DESTAK.


José Amaral

1 comentário:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.