terça-feira, 15 de novembro de 2016

Injusto

Na última página do JN de 5/11/2016 vem mais uma notícia alusiva ao militar da GNR, Hugo Ermano, desta vez respeitante à indemnização a que este elemento daquela força militarizada foi injustamente condenado a pagar (55000 euros).
É repugnante aceitar-se esta (in)justiça e compactuar-se com aqueles que a aplicam a quem age no estrito cumprimento do dever.
Se existe alguém que merecia tal condenação, era o indivíduo envolvido no assalto que, sem o mínimo de escrúpulos ou assomo de vergonha, levou para a prática criminosa o próprio filho menor, sendo ele o verdadeiro responsável pela morte da criança.
ISTO VALEU-LHE O PRÉMIO DE 11000 EUROS!
Atitudes destas levam, na minha modesta opinião, à desmotivação de todos aqueles que zelam pela nossa segurança.
Talvez, de futuro, os guardas, em situações similares, devam estar equipados com fisgas mas que só arremessem pastilha elástica, porque ... pedra magoa. 

Augusto Cardoso
(JN, 14-11-2016)

1 comentário:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.