sexta-feira, 11 de novembro de 2016

LEONARD COHEN

Os meus olhos choram como nunca se vira, e o meu coração entristeceu num luto para além da solidão na noite mais sofrida. Olhos e coração que há bem poucos dias brilharam de alegria e cheios de luz, quando foi atribuído a Bob Dylan o Prémio Nobel da Literatura. Juntei-os nesse dia como sendo dois ícones para mim a mereceram tal Galardão. Agora a notícia, veio roubar metade dessa luz e desse brilho, ao acordarmos com a morte do grande poeta, escritor, compositor, lendário, único e visionário Homem criador das canções mais amorosas que se podem ouvir, para sempre recordar. Canções que só podem ter berço de embalar, num construtor da beleza, um arquitecto do amor perfeito e próximo de Deus. O mundo não é justo, nunca o foi, como às vezes quer parecer. Depois de Dylan ser reconhecido pelo seu génio de artista maior, eis que o mesmo mundo nos apanha de surpresa, ao anunciar-nos de que Leonard Cohen morreu. Mereces melhor do que eu Leonard, quem te exalte. É quase uma ousadia minha, falar de ti, desenhar o teu perfil, e o teu talento. A tua voz grave que tanto nos fez reflectir e meditar sobre a obra do Homem e da Natureza, e sobre um Deus misterioso e poderoso que a tua melodia eternizou, fez-se agora um rio de lágrimas. Tu eras meu pai e meu irmão. Em 21 de setembro, com os teus maravilhosos 82 anos contados desde Montreal, no Quebec do Canadá, ainda te permitiram dar-nos o 14º álbum da tua genial inspiração, para que nós possamos sair da escuridão que à nossa volta nos persegue. "You want it Darker", ainda mal escureceu, e nós já não vemos a razão do teu apagamento, quando nós sempre te quisemos lanterna, na frente do caminho que nos mostravas e nós seguíamos, como se fosses a Joana D´Arc. Tu que também te fizestes monge e agora santo. Por mim manterei enquanto Deus quiser e me deixar, a tua chama viva, e estarei sempre à escuta e pronto para respeitar as tuas melodias, os teus poemas, a tua grandeza heróica, como só é possível aos que são eleitos pelo Divino Criador, para fazerem felizes a Humanidade. O teu harmónico silêncio de violino, de harpa e de anjo, eleva os nossos corações enquanto fechamos também os olhos ao som de "Dance to the End of Love...Dance me to your beauty a burning violin...". Que Deus te guarde no palco mais iluminado aonde ascendes. Aleluia. Aleluia!
                                

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.