sexta-feira, 18 de novembro de 2016

O SONHO COMANDA A VIDA



Fui à Bulgária há 3 anos, e durante uma semana, percorri boa parte do seu território. Trata-se de bonito país. ¾ são montanhas e o resto é planície. Tem muita e boa fruta, belas praias no Mar Negro e também gostei do seu povo. Mas o que mais me impressionou assim que lá cheguei, foi a degradação de grande parte do seu parque habitacional. Foi uma experiência muito interessante a visita àquele país. A começar por um dos guias que o grupo onde fui integrado teve. O Dimitri. O outro guia, era uma guia. Uma senhora, tal como o Dimitri, Búlgara, licenciada em história que abandonou o Ensino devido ao” miserável ordenado que os professores atualmente auferem”. Mas voltemos ao meu amigo Dimitri. Um personagem muito interessante. Passou 10 anos em Espanha, e depois de algum estudo da língua de Camões, falava um portunhol bastante compreensível. Durante a década que viveu aqui ao lado, fez algumas breves incursões pela nossa amada Lusitânia, e disse-me que adorou. Falou-me muito bem da nossa comida e de nós. Tive longas conversas com ele. Quanto à degradação das casas, informou-me que no anterior regime, tal como a Saúde e o Ensino, a habitação estava assegurada pelo Estado. Como agora as pessoas não tinham/têm dinheiro para reparar as casas, era a desgraça que se constatava/constata. Falou-me também na corrupção que grassava/grassa, numa minoria que prosperava/prospera e de outras pérolas do capitalismo que nós conhecemos de ginjeira. Mas, confessou-me também que no regime anterior, nem tudo foi propriamente um mar de rosas. Houve desvios ao socialismo,oportunismo, abusos de poder.
Perante a sua rica experiência e sentido de observação, uma vez perguntei-lhe: afinal Dimitri, o que achas melhor para o teu povo, para o meu, e para outros povos, o socialismo ou o capitalismo? A resposta foi imediata: o socialismo! Sem duvida nenhuma! E depois; o problema é implantá-lo. O problema é o homem. A sua natureza.
Portanto, o socialismo será um sonho, uma utopia.
E as casas do teu país, Dimitri? Serão algum dia reparadas? Reconstruidas? Resignamo-nos ao capitalismo? O homem não terá emenda?
“ Eles não sabem nem sonham, que o sonho comanda a vida...” Quem vai desmentir o poeta? Alguma vez o homem deixou de sonhar? E não houve e haverá sempre quem se bata por utopias?Por transformá-las em realidades?
Se um dia voltar à Bulgária e encontrar o Dimitri, aposto em como ele concordará comigo que o seu lindo país, um dia, ainda o ficará mais, com as suas casas como novas.
Francisco Ramalho
Corroios, 16 de Novembro de 2016



Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.