quinta-feira, 3 de novembro de 2016

OS MENINOS PRAXISTAS DISPLICENTES E RASCAS



Não bastou a tragédia do Meco que consternou o país, e outras de menores efeitos mas igualmente deploráveis. Os meninos praxistas displicentes e rascas, voltaram a fazer das suas. A potencialmente mais grave, aconteceu de novo junto ao mar revolto,desta vez em Oeiras. Os veteranos submetiam os caloiros a humilhações mesmo junto à rebentação das vagas. Valeu uma denúncia e a intervenção da Polícia Marítima para evitar a repetição do pior. Estes meninos, que não são oriundos de bairros sociais, mas sim jovens universitários, grande parte deles, filhos da fina flor da sociedade ( ou será do entulho?) são o espelho desta mesma sociedade. Assimétrica, injusta, alienada, patológica, onde a meta é a distinção e o protagonismo. E para isso vale tudo. Até a prepotência e a humilhação que é o resultado de frustrações e recalcamentos vários.
Francisco Ramalho

Corroios, 3 de Novembro de 2016

2 comentários:

  1. Aplaudo a reflexão sobre as praxes do amigo Ramalho e felicito-o pela oportunidade. Um abraço lusitano.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado amigo Tapadinhas! Outro abração para si.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.