domingo, 4 de dezembro de 2016

900 mil?

O presidente do Conselho Económico e Social, Correia de Campos, não se tornou conhecido por produzir frases bombásticas e chocantes. Intelectual ponderado, estudioso, sempre o vi defender posições bem fundamentadas, ainda que, muitas vezes, delas tivesse discordado. Recentemente, disse que Portugal só conseguiria crescer 3% no PIB com recurso a 900 mil imigrantes. Ignorava a magnitude da questão, mas já sabia que a Europa, em perda demográfica, necessita de imigrantes como de pão para a boca. Portanto, aceito a ideia com muito gosto, e estou predisposto a partilhar o “meu” mundo (que não é meu) com outros tão terráqueos quanto eu, com toda a naturalidade, neste panorama europeu de desertificação humana. Seria bom que, a partir de agora, os amantes dos isolacionismos diversos, os construtores de muros, europeus ou não, esconjurassem o “ódio patológico e irracional”, que tanto afecta alguns Comandos como qualquer supremacista. E que, no seu próprio interesse, admitissem, finalmente, que todos precisamos de todos. Se a riqueza das nações são os seus povos, e desculpando o exagero retórico, pois que venham… aos milhões.

Expresso - 03.12.2016, truncado das partes sublinhadas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.