quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Democracia controlada


Em política, por definição, pertence à democracia e aos cidadãos, a totalidade do poder político,  ou  seus representantes, os eleitos por maioria. Todavia em países, como em Portugal e nos EUA,  ainda que na base do voto, a democracia política é arranjada pelos políticos, como se infere do artigo  de Vicente J. Silva, no Público, tendo Trump sido eleito democraticamente Presidente dos EUA, embora tivesse obtido menos de mais de um milhão de votos do que a rival. Também cá, o actual governo, mercê de normas criadas constitucionalmente, tomou posse legal, embora tivesse obtido menos votos do que os adversários. Mas, enquanto que nos EUA as reacções violentas a esta composição democrática tenham originado ondas de violência excessivas, cá a geringonça aprendeu a bambolear-se no seu percurso, não se despistando nem originado atropelamentos graves. No entanto,  estes arranjos  de secretaria,  pervertem o valor sagrado da democracia em que os dirigentes são arranjados pelos políticos e não pelo sufrágio directo dos votantes.

Duarte dias da silva

3 comentários:

  1. Já leu a Constituição da República Portuguesa?

    ResponderEliminar
  2. "estes arranjos de secretaria" são absolutamente legítimos e democráticos. E como se depreende do comentário do amigo Ernesto Silva, constitucionais.

    ResponderEliminar
  3. O sistema americano reflete a sua natureza federal, dando um pouco de peso extra aos estados menos populosos. O problema está na presunção de que existe uma forma certa de obter a opinião coletiva. Não só não há, na prática, como aparentemente é impossível. Pelo menos assim o afirma o "teorema da impossibilidade de Arrow" (de Kenneth Arrow, Nobel da Ecopnomia) (https://pt.wikipedia.org/wiki/Teorema_da_impossibilidade_de_Arrow).

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.