terça-feira, 6 de dezembro de 2016

DEZEMBRO

Dezembro.
Mês do Natal…
Mês dos excessos…muitos excessos – excessos de gastos, excesso de falsa generosidade, excesso de falso afecto, excesso de tudo, mas infelizmente, quase tudo de plástico.
Sim, eu sei que sou desmancha prazeres e também sei que ainda existe quem viva o verdadeiro espírito de natal e ainda bem, senão teria já perdido toda a minha fé na humanidade, mas a verdade é que neste mês vivemos muito, quase todos, ao ritmo do marketing, do consumismo desenfreado e da caridadezinha que sinceramente me irrita solenemente.
Sou adepta da partilha, não da caridadezinha, mas mais do que isso deixei de ser tola e deixei de dar para mega campanhas de encher o olho e aliviar a consciência – ajudo quem sei que precisa e que sei fica grato com a ajuda recebida; procuro quem precisa e ajudo consoante as necessidades porque infelizmente também temos muito necessitado “esquisitos” que só consome de marca e deita fora o que recebe e não lhe agrada.
A esses, que muitas vezes andam com telemóvel mais caro que o meu, e aos que dão apenas para aliviar as consciências deixo esta imagem de uma criança num cenário de guerra, realidade que felizmente não temos no nosso país e por isso não sabemos dar o valor.
Talvez não sirva de nada, mas, ainda assim partilho, porque se for verdade que uma imagem vale por mil palavras, quem sabe alguns corações fiquem apertados e isto ajude a repensar a forma de ajudar.
Porque é quase Natal…aqui fica.


2 comentários:

  1. Cada pessoa é um mundo, por isso é muito difícil aprofundar a alma de cada um. Há os que se movimentam na área da caridadezinha e os da partilha e ainda os que que se movimentam na área da indiferença, porque a justiça social compete aos governantes. O ideal, o humano, é que dentro do possível, devemos ajudar os necessitados, independentemente do rótulo que essa ajuda carregue. A vida só faz sentido se nos preocuparmos com o nosso semelhante e por recíproco que ele tenha a mesma atitude em relação a nós. Um BOM NATAL para a amiga e para todos os seus entes queridos.

    ResponderEliminar
  2. Um Feliz Natal para si e para todos os que lhe são queridos, cm muita paz, saúde e carinho que é o fundamental. Bem haja amigo Joaquim.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.