quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

ILUMINAÇÃO

Ouço os anjos. Estou em transe. Há gritos de borboleta. Há barcos no mar. E tu danças, danças para mim. Já não há limites, companheira. Provo o vinho do paraíso. Canto. Voo sobre os homens. Há ouro, muito ouro na caverna. Medito. Elevo-me. Atinjo estados de iluminação. Jesus, Buda, Zaratustra. Vim conquistar o mundo. Leões, dragões, serpentes. Estou ás portas do céu. Quem me ama? Quem me vem dar amor? Estou possesso. Deliro. Tenho milénios em mim. Atravesso desertos. Sou tentado por Satã. Ainda assim acredito no homem. Incêndios. Guerras. Pilhagens. Primeiro virá o caos. Companheira, tenho visões. Vejo Camelot próspera novamente. Vejo William Blake e a Fêmea Eterna. Vejo o sacrifício e a dor. Em transe. Gritos ébrios. Como sois normais, como vos repetis. Jesus, Jesus. Busco o super-homem. Jesus, Jim, vou explodir. Trago mensagens dos céus. Leonor, Leonor, estou em êxtase, no gozo da sabedoria. Leonor, Leonor, cheguei aos meus dias.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.