sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

AUMENTA O NUMERO DE PAIS AGREDIDOS PELOS FILHOS EM PORTUGAL

Uma realidade escondida - por pudor, por vergonha, por sentimento de ter falhado; sabe-se lá porquê, mas a verdade é que a maioria dos pais agredidos pelos filhos não apresenta queixa, e quando o faz demora muito tempo a tomar a decisão.

Convenhamos que não é uma decisão fácil - apresentar queixa de sangue do nosso sangue...por agressão.

Não é fácil de fazer e para mim até é difícil de imaginar - um/a filho/a que agride os seus progenitores tem que ser uma pessoa emocionalmente descompensada descompensada ou moralmente mal formada, ou ambas, mas é com toda a certeza uma pessoa que precisa de ajuda.

Por isso, o meu apelo aos pais que eventualmente sejam vitimas de crimes destes - apresentar queixa é uma forma de se ajudarem a vós e a eles.

1777 pedidos de ajuda à APAV entre 2013 e 2015.
Este ano o numero já é muito substancial mas a maioria dos casos continua envolta no manto do silêncio...e o silêncio é ensurdecedor.

2 comentários:

  1. Não sei se aumentou ( a Graça Costa saberá) mas... 1777 já é muito "número em dois anos! Corroboro o seu pedido de quebra do silêncio até pela razões invocadas.

    ResponderEliminar
  2. Essa estória dos brandos costumes, não passa mesmo de um mito. Mas há provérbios mesmo assertivos: casa dos pais, escola dos filhos...Nestes casos específicos, não se aplicará a alguns? Eu já conheci! A descompensação não será hereditária?

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.