sábado, 7 de janeiro de 2017

Mário Soares deixou-nos



Mário Soares deixou o mundo natural de todas as coisas e seres, que são efémeros.
E o seu derradeiro dia chegou. Dele me despeço com muita admiração por tudo que fez e não fez, não conseguindo, por isso, um consenso político de entre todos os portugueses.
Quero recordar um episódio por mim observado aquando de uma das muitas arruadas em campanha eleitoral pela baixa da cidade do Porto, mais precisamente quando descia a Rua de Passos Manuel. Enquanto era saudado pelos milhares de pessoas que se postavam ao longo dos passeios batendo palmas, uma das presentes gritou ‘matai-o’.
Todavia, o adágio popular cumpriu-se: ‘o cão ladrou e a caravana passou’; mas, hoje, infelizmente, o seu périplo terreno findou.
Que Deus bem o receba e o tenha em bom lugar.

José Amaral





Mário Soares Dec2008.jpg

4 comentários:

  1. Tenho estado toda a semana "no estaleiro" (operação a uma hérnia inguinal) nem sequer tenho ouvido as noticias, e abri só há bocado o computador. Foi agora que soube.O amigo Zé Amaral e restantes companheiros que me lêem, sabem das minhas discordâncias com Mário Soares. Mas também não será surpresa ao dizer da minha consternação e também admiração. Paz à sua alma!

    ResponderEliminar
  2. Amigo Ramalho - O seu comentário é honesto e um bom exemplo de convivência democrática. Aliás, das pessoas bem formadas não há que esperar outra coisa. Um abraço lusitano e universal.

    ResponderEliminar
  3. Na verdade nunca foi um político que eu tenha tido alguma admiração, devido à minha posição política. Contudo neste momento só me resta uma coisa. Paz à sua alma!
    Aquele abraço fraternal.

    ResponderEliminar
  4. Amigos meus, assim é que é: todos diferentes em algumas opiniões, mas mortais e iguais perante a morte.
    Agora, sobre o amigo Francisco, não sabia que jogava futebol, pois hérnia inguinal é só coisa de futebolísticas. Mas, agora, vejo que não. As melhoras.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.