domingo, 1 de janeiro de 2017

Mime-se

Nesta época festiva, especialmente para si, sugiro-lhe uma ementa que desejo seja do seu agrado.
Inicia-se com um prato de carne.

“Perú assado” uma receita da cozinha tradicional portuguesa, mas é mais do que isso, leia com atenção e será surpreendida.
Uma receita trabalhosa, dispendiosa, digna das mesas mais requintadas.

Peru assado

Põe-se o peru num recipiente amplo com água e rodelas de limão, cerca de um a dois dias de forma a ficar bem mergulhado, juntam-se dois grãos de pimenta e bastante sal.
Passado este tempo retira-se da água e escorre-se bem, entretanto prepara-se o recheio do seguinte modo: corta-se a moela, o coração, o pescoço sem osso e um pedaço de presunto cortado em bocados pequenos. Deita-se num tacho com uma cebola picada, junta-se uma colher de banha ou azeite e leva-se a refogar, temperando com sal, pimenta e salsa muito picada, deve refogar lentamente até ficarem as carnes bem cozinhadas em molho próprio ou sendo necessário juntando uma ou duas colheres de caldo de carne (colher grande).
  Pode-se juntar algumas trufas, o que lhe dará um fino gosto e uma colher de vinho do Porto (sopa).
  Introduz-se este recheio no peru, depois de o ter barrado com 25 gramas de manteiga no interior.
  Depois de recheado, coze-se com uma agulha e linha de algodão branca, barra-se exteriormente com manteiga, de seguida mete-se no forno, sendo necessário cerca de 25 minutos por cada 500 gramas de peso da ave.
  De vez em quando, rega-se com o molho que vai largando e vira-se para que fique bem assado de ambos os lados.
  A meio da cozedura, retira-se do forno e deixa-se arrefecer, voltando a mete-lo no forno para que fique louro e tenro.
  Depois de assado, coloca-se na travessa, onde se trincha sem desmanchar.
  Serve-se com agriões e castanhas assadas ou cozidas descascadas, depois de estarem 15 minutos mergulhadas no molho do assado.
 O molho resultante do assado deve servir-se separadamente.

  Para quem preferir peixe, “bacalhau do natal”, uma receita antiga, pouco usual na cozinha portuguesa, requer algum trabalho, simples de executar, deliciosa e leve.

Bacalhau do natal.

Ingredientes:
500 gramas de bacalhau demolhado, 2 colheres de cebola picada (sopa), 2 dentes de alho picado, 3 decilitros de leite, 750 gramas de batatas, 2 ovos cozidos, 1 colher de salsa picada (sopa), 3 decilitos de azeite, azeitonas, sal e canela.
Preparação:
  Tira-se a pele e as espinhas ao bacalhau, põe-se a cozer juntamente com as batatas.
  Passam-se as batatas ainda quentes pela máquina trituradora. Divide-se o bacalhau em lascas, deita-se num pano grosso de algodão e amassa-se até ficar uma massa fina e fofa.
 Põem-se o azeite, o alho e a cebola num tacho, leva-se ao lume até que a cebola fique loura, deita-se a massa anteriormente feita neste refogado mexendo bem, deixe refogar, acrescente sal se necessario e alguma canela moída.
  Juntam-se as batatas passadas na máquina e adiciona-se o leite batendo bem, se ficar duro adicione mais um pouco de leite.
  Finalmente polvilhe com a salsa picada, coloque as azeitonas brancas e pretas, parta os dois ovos às fatias a guarnecer.

  Para quem gosta de sopa, “sopa de grão de bico com aletria”, vai adorar, pois pela sua delicadeza pode fazer parte de uma ementa de luxo.
  Dose para cerca de quatro pessoas.

Sopa de grão de bico com aletria.

Componentes:
2 chávenas de grão de bico (chá), 1 meada de aletria, 3 colheres de azeite (sopa), 1 molho de agriões ou espinafres, sal (q.b.).
Confeção:
  O grão de bico fica de molho durante a noite.
  No dia seguinte, escorre-se a água e esfrega-se com um pouco de sal grosso, para lhe tirar a casca, deita-se numa panela a água que se entender suficiente, o azeite, o grão de bico e um pouco de sal.
  Logo que o grão de bico esteja bem cozido, esmaga-se num passador e junta-se de novo ao caldo, obtendo-se um purè.
  Deita-se dentro da panela a aletria depois de partida, logo que levante fervura, retifica-se o sal e juntam-se os agriões ou espinafres que antes foram escolhidos e lavados.
  Deixe cozer mais um pouco, evitando que os agriões ou espinafres se desfaçam.


  Para quem não passa sem uma salada a acompanhar as refeições, “salada de natal”, acompanha perfeitamente uma grande variedade de receitas de carne ou peixe.
  Dose para cerca de quatro pessoas.
  Tempo aproximado de preparação: 15 minutos.
  Receita dispendiosa.

Salada de natal.

  Ingredientes:
1 lagosta cosida, 6 fatias finas de presunto, 1 chicória ou uma alface grande, 2 kiwis ou uma manga.
  Para o molho:
½ chávena de maionese (almoçadora), 2 colheres de ketchup (sopa), 50 gramas de pikles, 0,5 decilitro de vinagre.
 Preparação:
Lave as folhas da chicória, escolha-as e forre com elas uma saladeira, ao centro coloque as restantes folhas e por cima disponha o presunto em rolinhos e a carne da lagosta (previamente cozida e cortada em fatias).
  Decore com as pernas da lagosta e com os kiwis ou a manga cortada aos gomos.
  Prepare o molho misturando a maionese com os picles, o vinagre e o ketchup.
  Sirva o molho sobre a salada ou á parte.

Como todas as refeições que se presam, não pode faltar um doce.
“Bolo de natal”, esta receita comporta alguma complexidade na sua confeção, é dispendiosa, mas compensa, pois o sabor é divinal.

Bolo de natal.

Componentes para a massa:
250 gramas de manteiga, 400 gramas de açúcar, 6 gemas, 2 ovos, 500 gramas de farinha, 1 colher de fermento em pó (sopa), 100 gramas de passas corinta, sumo e raspa de uma laranja, 1 cálice de rum, manteiga para untar a forma.
Confeção:
Forre com papel vegetal uma forma redonda com cerca de 24 centímetros de diâmetro e unte-a com manteiga.
Num recipiente amasse a manteiga com o açúcar até ficar em creme, junte as gemas e os ovos sem deixar de bater, em seguida adiciona o sumo e a raspa da laranja, o rum, a farinha e por fim as passas.
Deite na forma, alise e leve ao forno a cozer cerca de uma hora (temperatura media).
Quando pronto, retire, deixe arrefecer, desenforme, remova o papel vegetal, apare-o se necessário para ficar uniforme e corte-o transversalmente em quatro rodelas iguais.
Componentes para o recheio:
100 gramas de açúcar, 1 decilitro de água, 1 casca de limão, 1 cálice de rum, doce de framboesa (q.b.).

Confeção:
Num tacho leve ao lume o açúcar com a água e a casca do limão, deixe ferver cerca de três minutos, retire do fogão e junte o rum, borrife as rodelas do bolo com esta calda de açucar, barre-as com o doce de framboesa e reconstrua o bolo, coloque-o no prato de servir.
Componentes para o merengue:
4 claras de ovos, 4 colheres de açúcar (sopa).

Confeção:
Bata as claras em nuvem e junte o açúcar aos poucos, batendo energicamente até obter um merengue seguro. Utilizando um saco de pasteleira com boquilha, cubra o bolo com este merengue, coloque-o à porta do forno ligado, até secar, rodando-o com intervalos, para que seque por igual.
Retire, deixe arrefecer e complete com decoração ao seu gosto.
Nota: sugere-se que decore este bolo com fios de ovos, pois é bastante compatível com o sabor do bolo.


Para quem preferir fruta, nada melhor do que uma “salada exótica”.

Salada exótica.

Descascam-se e retiram-se os caroços e as pevides a uma grande variedade de frutas.
Cortam-se as frutas em diversos formatos (cubos, rodelas, gomos, etc.).
Deve ter o cuidado de durante este processo, executa-lo em cima de um recipiente para que possa aproveitar o sumo que as frutas largam.
Juntam-se diversas frutas de conserva nos mesmos moldes.
Introduz-se tudo numa taça grande, com um ou dois paus de canela, ao que se junta parte da calda das frutas de conserva.
Ferva água num tacho, retire do fogão, coloque uvas passa ou sultanas e pinhões durante breves minutos, quando estas frutas secas estiverem inchadas, tire-as da água e misture-as com as frutas da taça.
Finalmente polvilha-se com açúcar abaunilhado.
Uma salada de frutas de sabor exótico, peculiar e irresistível.

Esta ementa serve-se com atenção e carinho para com aqueles que a rodeiam.
Quando se alimenta, faça-o calmamente, não fale, tira maior maior proveito dos sabores e fica saciado com menor quantidade de alimentos.
Comer o que se gosta não obedece a tradições, nem espera datas específicas.
Mime-se, desejo-lhe otimo apetite e seja feliz.

1 comentário:

  1. Dei um acerto ao título (que não tinha) e na formatação. Espero não ter perdido nada. E esse bolo tem bom aspeto, mas deve dar uma trabalheira...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.