sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

A volta do "homem" e as linguagens de conveniência

Acordei mal disposto, confesso. Este martelar no andar de cima que a lei permite para que cada proprietário dum andar possa fazer obras mesmo que... o anterior o tenha remodelado totalmente um ano antes, põe-me "fora de mim"!
Bom, mas confesso que o meu verdadeiro mal estar vem do que ouvi sobre o novo livro de Cavaco Silva (CS). Do que ouvi  e, muito mais que isso, do facto do "homem" ter voltado! E debato-me com um problema: para falar das coisas é preciso tê-las lido mas, por outro lado, não vou contribuir (com uns "tostões" que seja) para o bolso de CS comprando aquilo que vem dessa personalidade tão execrável. Acho que a ordem das suas "qualidades" é, cada uma uma decorrendo da anterior, a seguinte: défice de inteligência que acarreta défice de cultura, rigidez de pensamento que decorre das anteriores, convencimento de que as precedentes são exactamente o seu contrário, "sem graça" e... bastante mauzinho de carácter. Regresse às "profundezas"!
Mas há outra coisa que me "encanzina": as palavras usadas ao sabor dos interesses. Quem abomina "folhetim" ou "telenovela"mas utiliza "lamaçal" para o mesmo assunto (sabem a que me refiro...), quem, para minimizar o assunto, fala de "elites", quem fala de "grau zero" na discussão para atacar outros ( o deles é "grau cem"...), quem utiliza "eufemismos esdrúxulos" para dizer coisas simples... faz-nos saber ao que vem!
Vou "fugir" de casa porque o martelo recomeçou, embora, e apesar de tudo, seja talvez seja o menor dos males....

Fernando Cardoso Rodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.