quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Acabem com isso

Mentir no Parlamento é grave. Aliás, mentir, seja onde for, é sempre reprovável. Se a mentira no Parlamento pagasse imposto, estaríamos ricos à custa dos políticos, esses que acusamos de nos sugar até ao tutano. A mentira é, nunca o esqueçamos, um instrumento essencial na caixa de ferramentas dos políticos.
Será que Centeno mentiu? Parece não haver provas, mas isso só quer dizer que, caso o tenha feito, soube precaver-se e… não foi apanhado. De facto, esses detalhes só interessam realmente aos militantes partidários: para uns, foi um crime, para os outros, não foi nada, quando muito, um descuido. A bem da governação, pois claro, da CGD e do país, como o demonstram os números que o ministro das Finanças, ao arrepio de todos os arautos, conseguiu atingir. Que o diga o Moscovici.
Devemos ser imparciais nestas coisas mas, desta vez, vou ceder ao parcialismo descarado: é claro que os portugueses estão mais felizes do que com o Gaspar ou a Albuquerque e, aparentemente, mais confiantes no futuro. Façamos coro, então, com o Presidente da República e gritemos: acabem lá com isso. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.