quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

"Fugas" de capitais

Saiu num jornal diário uma notícia com o título "Fisco deixou sair 10 mil milhões para offshores sem vigiar transferências", tal situação terá ocorrido no período de 2011 a 2014; seria muito interessante saber qual o montante total de capitais saídos do País desde que este governo" frankasnsteineriano "governa este pobre País; creio não errar, em cada aparição televisiva de Catarina Martins ou Jerónimo de Sousa apelando à negociação da dívida ou à saída do Euro no dia seguinte sairão mais uns bons milhões...

Como pode alguém que trabalhou arduamente toda a sua vida ou, com sorte, herdou algum pecúlio, confiar em pessoas que pretendem "ir ao dinheiro onde ele está", como quem vai a um pote de mel? O pecado original deste governo é a "confiança", dirão que essa coisa existe pois o consumo tem aumentado; Claro, enquanto o dinheiro barato vindo pelo canal do BCE for despejado a rodos, estaremos todos muito contentes, mas aqueles que prudentemente querem viver com o que têm será que manifestam a mesma confiança?

Hoje, com a livre circulação de capitais, grandes fortunas são deslocalizadas com o premir de um botão, sem que os governos o possam impedir. O dinheiro aflui aos países de produzem riqueza fugindo daqueles que pretendem engordar o Estado esmifrando os cidadãos que trabalham até ao tutano, esses últimos acumulam dívidas para financiar uma festa que mais tarde ou mais cedo acaba, é com a produção de riqueza que os Países progridem e essa só se consegue com capital, inteligência e trabalho! A nossa fuga de capitais é pronúncio de um desastre que mais tarde ou mais cedo acontecerá neste oásis socialista... 

Ezequiel Neves

6 comentários:

  1. Continuo sem perceber se a Céu coloca no blogue textos de outros somente com autorização ou a pedido destes. Ou as duas coisas? É que quero saber se vale a pena fazer comentários que vão sempre para o autor do texto.
    Por exemplo, neste caso dirijo-me ao Ezequiel. Então os milionários ( que são poucos (?) versus as "gentes" que são muitas) podem fugir com os seus "dinheiritos" e nada há a dizer porque são "motor"?... Ou seja, a "virtude de ter" perdoa-lhes a "virtude de fugir"?... E o culpado é o Estado! E, já agora, nós todos!

    ResponderEliminar
  2. Fernando, já lhe disse também que os textos são-me enviados . Se os seus autores não comentam isso já é outra coisa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não duvido de si Céu e obrigado por "perder tempo" a repetir-se. Mas que não faz sentido nenhum isto do "toca e foge" por parte dos autores dos textos, concordará comigo que não.

      Eliminar
    2. Tenho hoje de concordar com o FR. Ele bem sabe que apesar de estarmos diametralmente opostos na política, eu SEMPRE respondi aos seus comentários a textos meus. No meu tempo (o tal tempo do "fascismo") toda a carta, toda a mensagem, todo o telefonema, tinha sempre de ter resposta, sob pena de sermos considerados mal educados. Imaginem o que não sofro hoje, inclusivé com a minha própria família. Se os autores dos textos, não respondem às observações (presumindo que estas são educadas) não merecem estar aqui.

      Eliminar
  3. Brilhante! As voltas que se dá para responsabilizar o actual Governo das (interessadas) distracções do anterior.

    ResponderEliminar
  4. Uma coisa estes "trabalhadores inteligentes", não "deslocalizam": moral. Porque não têm nenhuma. E, "mais tarde ou mais cedo" deixarão de o fazer. Não será nos nossos dias, mas será! A imoralidade não é eterna. A dignidade, sim!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.