quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

"Homicídio por compaixão e justicialismo"

Descansem, não vou falar de eutanásia. Vou antes "pensar alto" ou, talvez ainda mais, fazê-lo com "os meus demónios" Ou seja, sem assertividade axiomática mas antes perguntando-me se as coisas têm que ser assim.
Refiro-me à pesada pena que o tribunal impôs à mulher que "entrou pelo mar dentro" com os dois fihos, de que resultou a morte destes. Homicídio amoral e manifestamente criminoso? Mulher doente psicológica/socialmente? Homicídio por compaixão? Justiça ou justicialismo?
Tantas são as perguntas que me "bailam" na cabeça que cometo o abuso de vos invadir com elas sem mo pedirem. Uns mandar-me-ão "passear", a outros serei indiferente, outros ainda terão alguma coisa a dizer. Fico a guardar...

Fernando Cardoso Rodrigues


Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.